sexta-feira, 8 de abril de 2011

Casquinhas (falsas) de Siri

Outro dia mesmo, antes de sair pra escola, o Dino lembrou nonno Sbatto que adorava as casquinhas de siri que ele aprendeu "lá longe" e que já fazia algum tempo que não comia. Foi o que bastou!
Imediatamente Sbatto me ligou. Aqui ainda era de madrugada mas ele nem lembrou que estava algumas horas à frente! Acordei assustado com as más notícias que passam pelas nossas cabeças quando os telefones tocam fora de hora e corri para atender.
Me falou do Dino e muito da saudade que tinha dos velhos tempos, quando ficávamos comendo casquinhas de siri com Prosecco e jogando conversa fora enquando saiam as fornadas de pães...
Logo depois, saiu e foi buscar alguns ingredientes básicos para a receita. 


Aquela tarde foi memorável! Sbatto e Dino se juntaram para fazer as casquinhas de siri. Um matando saudades dos velhos e bons tempos... o outro simplesmente matando a vontade de comê-las.


Alla ricetta...
Ingredientes:
5 canudos de kani picados em dadinhos
2 filés de merluza picados em dadinhos
100ml de vinho branco de boa procedência
1 cenoura média picada a brunoise (cubinhos bem pequenos)
1 cebola média picada a brunoise
1 talo de salsão (100g) picado a brunoise
1 colher (sopa) de semolina ou trigo
200ml de caldo de camarões
3 colheres (sopa) de Catupiry
1 macinho de salsinha bem picado
Parmesão ralado para gratinar qb
1 torrada moída para gratinar
Azeite de oliva qb
Sal qb


Acessórios:
15 conchas de vieiras (se não tiver, ouse, improvise,... use forminhas de alumínio para empadinhas, por exemplo).
15 suportes de louça (se não tiver, é recomendável que se prepare um puré de batadas simples para assentar a concha sobre o prato).
Esses suportes da foto, feitos de louça, foram presentes da Sueli.
Mãos na Massa:
Lavo, limpo e preparo o filé de Merluza, o kani e a salsinha.
Numa boa sartén com azeite de oliva, douro a cebola, cenoura e salsão em fogo baixo até ficarem bem macios.
Levanto o fogo e entro com o peixe e o kani, salteio por uns minutos, adiciono o vinho e espero evaporar. Adiciono o caldo de camarões, o Catupiry e a semolina em chuva mexendo bem para não formar grumos.
Deixo cozinhar por alguns minutos até ganhar boa cremosidade. Junto a salsinha, misturo bem, ajusto o sal e reservo.
Ligo o forno (gratinador) a 200 graus. Porciono uma boa colherada dentro de cada concha de vieiras, acomodo numa forma grande.
Cubro com parmesão ralado e um tanto da torrada moída.
Levo ao forno por 15 minutos ou até que fiquem com a superfície bem dourada e crocante.
Retiro e sirvo imediatamente.
Cervejas estúpidas podem ser boas companheiras se forem servidas como petiscos, aperitivos. Se forem servidas como entrada - "agradinho" - para um jantar, um espumante de boa procedência vai se dar melhor!!!
Bom apetite!!!


Serve 16 casquinhas.


O pulo do ChefA mistura do filé de peixe branco - nessa receita a merluza - com kani e caldo de camarões, formam um "mix" interessante de sabores para substituir a carne de siri. Isso explica a necessidade da palavra "falsa" no título da receita.
Se tiver certeza que todos gostam de pimenta, elas podem ser acrescentadas ainda na sartén. Eu prefiro um peperoncino moído, mas a do reino branca moída na hora também vai bem. Caso contrário, melhor colocar à mesa um tabasco.
Vale lembrar que o uso de pimenta, agregada na cocção ou à mesa, se ficar muito perceptível vai brigar com o vinho, seja ele tranquilo ou espumante.


Deixe aí abaixo sua avaliação num simples clique.
Print Friendly and PDF

2 comentários:

  1. julia mangabeira8 de abril de 2011 18:58

    adorei! neste domingo vou fazer como entrada!Bjos, Julia

    ResponderExcluir
  2. Que bom que vc gostou, Julia. Um abraço, Erney

    ResponderExcluir

Seus comentários são muito benvindos e respondidos oportunamente, se for o caso. Aviso aos caros visitantes que precisei ativar o serviço de "verificação de palavras" para evitar Span nos comentários. Conto com sua paciência. Obrigado. Cozinha Ousada!